Acadêmicos do primeiro período do Curso de Psicologia do Ceuma, campus Imperatriz, experienciaram uma aula na prática. A Profª Ma. Sheyrlani Silva foi convidada a participar de uma Tribuna Popular na Câmara Municipal de Vereadores, para falar sobre pobreza menstrual e seus efeitos na saúde mental de adolescentes em situação de vulnerabilidade social.


Segundo a professora do campus, o termo ‘pobreza menstrual’ surgiu para denominar a falta de acesso a produtos de higiene menstrual e sanitária adequados. “A exclusão social de adolescentes nessas condições, pode gerar transtornos, ansiedade, isolamento, além de outros fatores que comprometem o seu desenvolvimento identitário e social”, completa.


Clara Santos, acadêmica do primeiro período de Psicologia, diz: “ouvir as especialistas na tribuna é de suma importância para disseminar o conhecimento acerca da pobreza menstrual. Enquanto futuros psicólogos, precisamos entender que o trabalho preventivo é fundamental para o melhoramento da saúde”, finaliza.


A ação faz parte do projeto “O mundo precisa de empatia”, promovido pela vereadora Claudia Batista. O objetivo da campanha é conversar com especialistas em saúde e políticas públicas, buscando traçar estratégias para o bem-estar das mulheres imperatrizenses.